Procurar um lugar junto a uma árvore, contemplar a paisagem e ouvir o som do rio são rituais que se tornaram sagrados no meu quotidiano. O refúgio na natureza é um momento privilegiado onde podemos realmente sentir como o universo orquestra a sua energia para mover cada elemento e cada ser vivo. E sabias que cada mês do ano vibra sob determinada energia que influenciam o teu modo de ser e estar, a tua forma de ver e viver as coisas?

Procurei a natureza, como é meu hábito, para poder buscar a inspiração para escrever. Por mais apaziguante que a natureza fosse, não encontrava a linguagem simbólica mais assertiva que traduziria fielmente as energias predominantes para o mês de maio. Deixei fluir… e deixei passar alguns dias. Perguntavam-me: “o teu texto de maio?”… ao que respondia: “ainda não o senti.” E na minha paciente e silenciosa espera, a natureza comunicou comigo na sua forma mais inesperada e surpreendente.

Estava a aproveitar uma tarde de domingo em casa, bebendo uma chávena de chá quente e reconfortante. No entanto, a minha tranquila tarde de fim-de-semana foi repentinamente interrompida por um barulho estranho que provinha da lareira. Ao espreitar, vi que era um pequeno pardal que tinha caído do telhado e ficou refém do fogão estreito e escuro. Senti a sua inquietude pelo seu bater de asas irrequieto e constante pelo que não esperei muito para o acudir. Dirigi-me à janela, abri a persiana e afastei as cortinas para que a luz pudesse entrar. Abri o vidro da janela e voltei ao fogão. Olhei para o pequeno pardal e agradeci a sua visita. Descerrei a porta que o prendia e ele saiu do lugar escuro e desconhecido para voar em direção à luz do sol. O pardal não se perdeu nem se desorientou, ele sabia que se devia guiar pela luz. E enquanto o via afastar-se no horizonte percebi a mensagem que a sua visita aparentemente acidental me deixou para a entrada neste mês de maio: voa sempre rumo à tua liberdade!

O mês de abril exigiu uma profunda limpeza interior que nos obrigou a colocar cada coisa em seu lugar: organizar pensamentos e emoções e desapegar do que já não faz sentido. Para muitos, foi uma profunda viagem ao seu Eu mais profundo onde muitas coisas foram postas em causa e onde as emoções transbordaram tornando-se insustentáveis. Desprovido de tudo o que já não precisas, estás realmente mais leve, por isso, o mês de maio está fielmente representado nessa pequena figura do pardal: voa livre e com toda a leveza!

 

O mês de maio vibra sob a energia do número 5, uma energia intrinsecamente direcionada para a liberdade e expansão. É a altura para convergires dentro de ti todas as experiências, cada encontro e casualidade que te possam suceder: aprende a sentir com cada um dos teus sentidos! Haverá em torno de ti uma energia de movimento e agitação pelo que aproveita este mês para voares mais alto: projeta-te e sonha pois como diria Fernando Pessoa, “Deus quer, o homem sonha e a obra nasce” e tudo tem a sua razão de ser.

Viaja, conhece mundos e pessoas e expande a tua consciência. Toma consciência de todas as dimensões do teu ser e das energias que te governam. A figura do pardal pela sua estrutura delicada e singela sugere para que cuides da tua energia feminina: cuida-te e nutre-te. Não é por acaso que o mês de maio encerra tantos dias dedicados à mulher: o dia da mãe, o dia das noivas e de Nossa Senhora. Por isso, faz jus a essa energia que todos temos e torna-te versátil e criativo.

Em sinergia com a vibração do ano universal, o mês de maio será um mês desafiante, pois tal como o pardal, tanta agitação e movimento poderão fazer com que caias inadvertidamente, colocando a tua capacidade de voar em causa. Mas nesses momentos, recorda-te: tudo é efémero e temporário. Esses desafios são necessários para que tomes consciência do teu poder pessoal e recorda, mais uma vez, a lição do pardal: não confies no ramo que te sustenta, mas nas tuas asas que te permitem voar.

Orienta-te pela luz que te guia, pois o Universo presenteia quem se atreve e vive de acordo com o seu propósito. Tal como eu abri a janela que aprisionava o pequeno pardal, o Universo também se encarregará de remover todos os obstáculos que limitarão o teu voo. Faz como a pequena ave: confia na Luz.

 

Manuela Castro | Numeróterapeuta&Numerógrafa