Ontem, enquanto folheava um romance uma frase chamou-me a atenção: “vou ao encontro do outro para ter notícias de mim.” Noutro momento, provavelmente, a frase teria passado despercebida mas naquele instante despertou algo no meu interior e ecoou...pois é assim que a energia de um mês a aproximar se manifesta. É um murmúrio leve, um sopro suave no teu interior fruto da interação com o exterior e que te toca e capta a tua atençao para questões que anteriormente não tinham importância. É assim que a magia de novembro se manifesta em ti...

O mês de novembro vibra sob a energia do número 11 pelo que, após um período de interiorização que te levou a construir fundações novas para o teu novo EU, este mês pede-te para trabalha-lo junto do teu mundo. O mês de novembro vem, pois, relembrar-te que é no encontro com o outro que melhor te defines e recebes “notícias de ti.”

Nós não vivemos sós. Nascemos e crescemos numa família, numa sociedade, numa cultura. Vivemos de encontros e desencontros. Somos cíclicos como as estações da natureza, onde perdemos, morremos e voltamos a renascer mais fortes.

A forma como te relacionas com o teu ambiente e os ciclos da vida diz muito sobre quem tu és. O mês de novembro vem te relembrar que o mundo é interativo e funciona como um espelho, onde todas as interações vem te dizer algo sobre ti. Está atento/a ao que a outra pessoa te provoca, sente o motivo de determinadas situações despertarem certas emoções pois aí está o reflexo dos teus pensamentos, das tuas crenças e dos teus bloqueios. Há uma situação que te provoca medo? Existe alguém que te provoca raiva? Tenta perceber os motivos recónditos dessa emoção.

É na colaboração com o outro que crescemos, é na interação com o nosso ambiente próximo e imediato que evoluímos. Há pessoas que te revoltam, outras que te inspiram e é nessa mediação entre esses polos aparentemente antagónicos que confinas quem tu és.

Não é apenas sobre como te relacionas com o mundo mas com o teu mundo: Ê sobre como te relacionas com temas como a perda, o desapego, o perdão, o medo que este mês vem tratar. Serás incentivado/a a ativar tudo o que é díficil lidares. Com a energia do ano universal (3), o mês de novembro vem pedir para equacionares se es realmente livre e desapegado/a dessas questões que há muito te acompanham: como lidas com a perda de quem te é querido? Como lidas com momentos de crise? Aceitas esses momentos como algo passageiro ou isso abala a estrutura que no mês passado construiste? Como lidas com aquela emoçõa que determinada pessoa/situação te provoca? Acreditas que tudo é para a tua aprendizagem ou deixas-te levar incessantemente pela vitimização e revolta? Que poder é que o outro exerce sobre ti? És realmente livre desse poder?

É provável que haja encontros fortuitos, por momentos sincrónicos, por discursos ou mensagem com a qual te identificas. Pode ser ainda por primeiras impressões evocadas por alguém ou algo. Está atento/a a essa magia que surge dessas sinergias pois trazem notícias sobre quem tu és. É na cooperação e interação com o teu mundo que se dá a tua aprendizagem e onde tens verdadeiramente oportunidade para evoluires!

O mundo não é inóspito. Eu sei, às vezes, temos vontade de fugir e isolar-nos por não identificar-nos com ele. Mas é aí que reside a magia, pois já pensaste que é na tua diferença que está o teu maior poder?

É no mês de novembro que vens conciliar os teus opostos,para te harmonizares. Lembra-te, a própria História traz exemplos dessa energia dominante: não é por acaso que há 101 anos se celebrou o fim da Primeira Guerra Mundial com a assinatura do Armistício, um acordo entre dois pólos antagónicos, que visou harmonizar as tensões.

 O mundo é um espelho. Olha para ele, sem medo porque novembro sugere-te que é na mediação entre o passado-futuro, sombra e luz, interior e exterior, eu e o outro, movimento e inércia que se dá a transformação alquímica do teu ser.

 

Manuela Castro | Numeróterapeuta&Numerógrafa